quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Blitz de secretaria flagra empresa que reutiliza material hospitalar em São Paulo...

Uma blitz da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo feita na semana passada flagrou uma empresa que reprocessava e esterilizava materiais hospitalares que podem ser usados apenas uma vez, como seringas, conectores de injeção e cateteres vasculares, em Cedral (a 424 km de São Paulo). As informações são da “Folha de S. Paulo”.


A Sterimed Serviços de Esterilização, que foi multada em R$ 184 mil e teve as atividades suspensas, tinha contrato com aproximadamente 300 instituições de saúde, entre hospitais públicos e privados do interior paulista, de Minas Gerais, Tocantins e Goiás. A Santa Casa de São Carlos, o Hospital São Lucas, de Ribeirão Preto, e o Hospital de Base de São José do Rio Preto podem ser clientes. A empresa terá um prazo de 48 horas para fornecer os 300 nomes.

Entre os materiais encontrados também havia um alicate para cirurgias ortopédicas sujo e produtos usados com prazo de validade vencido em 2007. A esterilização de seringas, de acordo com uma tabeça de preços entregue à secretaria, custava R$ 5,75 a unidade.



terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

ONU elogia combate ao tráfico em favelas no Brasil...

Atualizado em  28 de fevereiro, 2012 - 06:58 (Brasília) 09:58 GMT


O relatório da Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes, divulgado nesta terça-feira pela ONU, elogia a repressão ao narcotráfico nas favelas do Rio de Janeiro e critica a Bolívia por abandonar a Convenção Única de Narcóticos ao não concordar em reconhecer a folha de coca com droga.
O documento reúne informações de todo o mundo e faz recomendações aos governos, baseadas em políticas de repressão ao tráfico e prevenção ao uso.

Segundo o documento, o país conseguiu, "com uma combinação de policiais e militares", prender líderes do tráfico e "instituir o estado de direito" onde antes reinava a violência.No tópico em que discute como "responder ao problema", o documento cita a ação conjunta da Polícia Militar do Rio de Janeiro e das Forças Armadas na ocupação de favelas.
O relatório também elogia a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora, as UPPs, dizendo que a iniciativa constrói uma relação de confiança entre as forças de segurança e a comunidade.
A Junta também elogia iniciativas como a troca de armas, em posse de civis, por recompensa em dinheiro, em algumas localidades dos Estados Unidos.

Bolívia

O relatório faz duras críticas à Bolívia por abandonar, no ano passado, a Convenção Única de Narcóticos, de 1961. A ação foi classificada como "um grande desafio para o sistema internacional de controle de drogas".
A decisão boliviana foi fruto da discordância em relação ao status da folha de coca, mastigada tradicionalmente pelas populações do altiplano do país, sem fins entorpecentes.
A Junta ressalta que a folha é considerada uma droga, segundo a Convenção. Em 2009, o governo boliviano solicitou uma emenda ao documento, pedindo a mudança do status da folha de coca, no que não foi atendido.
Após o abandono da Convenção, o governo boliviano propôs aderir novamente ao acordo, com a ressalva sobre o tradicional costume indígena.
Na carta de apresentação do relatório, o presidente da Junta, Hamid Ghodse, diz que se "os Estados-Partes usam o mecanismo de denúncia e 're-adesão' com reservas, a integridade do sistema internacional de controle estaria minada".


América Central

A Junta também mostra preocupação com a situação na América Central.
Com o aumento da repressão das autoridades mexicanas aos carteis que espalharam violência no México nos últimos anos, vários grupos de narcotraficantes se estabeleceram no istmo centro-americano .
"A escalada da violência relacionada às drogas, envolvendo organizações criminosas, transnacionais e locais e outros grupos na América Central atingiu níveis alarmantes e sem precedentes, piorando significativamente a segurança na subregião, tornando-a uma das mais violentas áreas no mundo", diz o documento.
O relatório lembra que "El Salvador, Guatemala e Honduras, os países do chamado 'Triângulo do Norte', junto com a Jamaica, agora possuem os mais altos níveis de homicídio do mundo".

Benjamin Franklin: "aquele que sacrifica a liberdade por segurança, não merece nenhuma das duas" ...

Anonymous anuncia 'apagão' na internet no dia 31 de março
21 de fevereiro de 2012  18h52  atualizado às 18h57

O grupo global de hackers é representado por uma máscara branca com um sorriso. Foto: AFP
O grupo global de hackers é representado por uma máscara branca com um sorriso
Foto: AFP

O grupo de hackers Anonymous agendou para o dia 31 de março o "maior ataque a rede" até o momento, invadindo 13 servidores importantes e causando um "apagão" na rede. O anúncio sobre a intenção de suspender temporariamente a internet em todo o mundo foi publicada em um site na web onde o grupo lança suas ameaças de ataques. As informações são do site 20 minutos.
O objetivo do grupo é protestar contra a Sopa, WallStreet e os "irresponsáveis líderes e banqueiros por meio da saturação da internet". O Anonymous chamou o ataque de Global Blackout e disse que vai impedir o funcionamento de 13 servidores DNS raiz. Com isso, segundo o grupo, não será possível realizar uma busca de nome de domínio, impedindo o funcionamento da rede.
O grupo não disse quanto tempo vai durar a ação, mas afirmou que pode ser uma hora ou vários dias. O Anonymous terminou a mensagem com uma frase atribuída ao ex-presidente americano Benjamin Franklin: "aquele que sacrifica a liberdade por segurança, não merece nenhuma das duas" (em tradução livre).
Em janeiro deste ano, o Anonymous - grupo global de hackers representado por uma máscara branca com um sorriso - bloqueou por várias horas os sites do FBI e do Departamento de Justiça americano, em represália pelo fechamento por parte dos Estados Unidos do site de trocas de arquivos Megaupload. Posteriormente, o Anonymous assumiu a autoria de um ataque ao site da agência de inteligência americana, a CIA.
Seu método é o mesmo: interromper as operações de um site por excesso de conexões. No final de 2010, o Anonymous atacou os sites de Amazon, Visa, MasterCard e PayPal devido à decisão dessas empresas de deixar de trabalhar com o Wikileaks.

Nº de usuários ativos na internet cresce 11% em um ano no País...

27 de fevereiro de 2012  20h55
O número de usuários ativos da internet no Brasil voltou a crescer em janeiro deste ano, alcançando a marca de 47,5 milhões entre as 63,5 milhões de pessoas com acesso em casa ou no local de trabalho. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Ibope/Nielsen, em pesquisa que aponta um crescimento de 2% de usuários ativos em relação ao mês anterior e de 11,2% sobre os 42,7 milhões de janeiro do ano passado.
O maior aumento, segundo a pesquisa, aconteceu em residência, com crescimento de 14% em um ano. No último trimestre do ano passado, o número de internautas no Brasil chegou a 78,5 milhões de pessoas em qualquer ambiente (domicílios, trabalho, escolas, lan houses ou outros locais), indica o relatório do Ibope.
Audiência
Os sites governamentais foram o que tiveram o maior aumento mensal de usuários únicos em janeiro, passando dos 22,3 milhões em dezembro para 25,3 milhões em janeiro, uma expansão de 13%. O motivo, segundo a pesquisa, foi o aumento da procura por informações sobre o Enem, o Prouni e as incrições unificadas em instituições de Ensino Superior.
Outros sites que também registraram forte crescimento da audiência em janeiro foram os de carreiras, mapas e guias locais, páginas de ofertas de pacotes de viagens, de hotéis e de companhias aéreas e os classificados de imóveis. Na comparação com janeiro de 2011, acumulam o maior crescimento percentual as categorias Automóveis, com 27% de aumento no número de usuários únicos, e Viagens, com expansão de 22%. Também seguiram em crescimento sites de vídeos, buscadores, e-mail, compras coletivas e sites sociais.
A publicidade na internet também começou 2012 em alta. Em janeiro, foram veiculadas mais de 6 mil campanhas de 2.124 diferentes anunciantes. Na comparação com janeiro de 2011, o crescimento do número de campanhas foi de 39%.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

País de hoje: Quênia

O Quênia é um país situado na costa leste do continente africano.
É cortado pela linha do Equador e apresenta uma grande diversidade de paisagens que movimentam o turismo no país.
As Forças Armadas Quenianas recebem ajuda material dos EUA, em troca permitem o acesso privilegiado dos navios norte-americanos ao Porto de Mombasa.

No dia 09 de fev. de 2012, o embaixador queniano, Kirimi P. Kaberia, esteve no Brasil em reunião com a Associação Brasileira de Operadores de Turismo (BRAZTOA) para buscar apoio da entidade e ampliar o turismo no Quênia. A intenção é levar operadores e jornalistas para conhecer os principais atrativos do país ainda no primeiro semestre de 2012 e auxiliar na disseminação do turismo no Quênia.


Da população de 41,6 milhões, a ONU estima que 3,5 milhões se encontram em situação de insegurança alimentar, ou seja, passando fome.


Capital: Nairóbi
PIB: 31 bilhões dólares



Nairóbi

Nairóbi


domingo, 26 de fevereiro de 2012

Destruição de grande parte da pesquisa brasileira na Antártida...

Incêndio comprometeu 40% do programa antártico brasileiro, diz pesquisador


O incêndio que destruiu sábado (25) a Estação Antártica Comandante Ferraz, na Ilha Rei George, comprometeu 40% do programa antártico brasileiro. A avaliação é do diretor do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Jefferson Simões, que já esteve 19 vezes no continente gelado, das quais cinco na Comandante Ferraz.
“Foram afetadas principalmente as áreas de biociência, algumas pesquisas sobre química atmosférica, de monitoramento ambiental, principalmente sobre o impacto da atividade humana naquela região do planeta. Infelizmente, isso também representou uma perda enorme em termos de equipamentos. Ainda não podemos estimar, mas ultrapassa a casa da dezena de milhões de dólares”, lamenta o pesquisador.
Segundo Simões, no entanto, o programa antártico continuará funcionando porque a Comandante Ferraz, apesar de concentrar uma parte importante das pesquisas brasileiras, não era a única estação científica brasileira. Ele explica que, pelo menos metade dos pesquisadores, trabalha em navios de pesquisa ou em acampamentos isolados na Antártica.
Além disso, Simões conta que, em janeiro deste ano, foi inaugurado um módulo de pesquisa no próprio Continente Antártico, chamado de Criosfera 1, localizado a 2.500 quilômetros ao sul da Comandante Ferraz, que está concentrando importantes pesquisas brasileiras. Segundo a Academia Brasileira de Ciências, essa é a estação de pesquisas latino-americana mais próxima do Polo Sul.
“É um módulo totalmente automatizado, que coleta dados meteorológicos, de química atmosférica, inclusive dióxido de carbono, e outros estudos. Essa expedição [de instalação do módulo] foi liderada por mim, com pesquisadores de sete instituições nacionais, como a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro”, disse.
De acordo com o pesquisador, a reconstrução da Estação Comandante Ferraz demorará, pelo menos, dois anos, em consequencia das condições geográficas da Ilha Rei George. “O processo de reconstrução, para voltar ao nível em que estava, demorará de dois a três anos. A logística é muito difícil e só podemos construir durante o verão antártico. E o inverno já está chegando”, disse.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Antártida: Incêndio deixa um ferido e dois desaparecidos...

Acidente ocorreu na base brasileira Comandante Ferraz, na Antártida. Geradores de energia foram atingidos
Um acidente ocorrido na madrugada deste sábado deixou um ferido e dois desaparecidos na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), base militar brasileira na Antártida. As informações foram confirmadas pela Marinha do Brasil. Um IPM (Inquérito Policial Militar) foi instaurado para apurar as causas do incidente.

Por volta de 2h (horário de Brasília), ocorreu um incêndio na Praça de Máquinas, local onde ficam os geradores de energia. Os 15 integrantes do Grupo-Base - militares responsáveis pela manutenção e operação da base iniciaram o combate ao incêndio.

O militar ferido foi transferido para a Estação polonesa de Arctowski para receber os primeiros socorros e, posteriormente, para a Base chilena Eduardo Frei. Ele não corre risco de morte.

Resgate

Os 30 pesquisadores - um alpinista que presta apoio às atividades de pesquisa, um representante do Ministério do Meio Ambiente e os 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro - foram transferidos de helicópteros chilenos para a base chilena Eduardo Frei.

Eles devem partir ainda hoje em uma aeronave da Força Aérea Argentina para a cidade de Punta Arenas, no Chile. Permanecem na base Comandante Ferraz parte do Grupo-Base, que trabalha no combate ao incêndio.

O navio “Almirante Maximiano”, da Marinha, partiu de Punta Arenas em direção à base Comandante Ferraz para prestar o apoio necessário. A FAB (Força Aérea Brasileira) disponibilizou uma aeronave, que seguirá para Punta Arenas, a fim de trazer de regresso ao Brasil o pessoal que estava na base.

Dois navios da Marinha da Argentina e dois botes da Estação polonesa de Arctowski estão nas imediações da base Comandante Ferraz, apoiando as ações. Além disso, três helicópteros da Base chilena Eduardo Frei continuam prestando apoi

Reportagem mostra condição de funcionários da Apple...

Vejam a precarização laboral das grandes corporações!

24/02/2012 -- 14h23
 
O jornalista Bill Weir, da rede americana de televisão ABC, teve acesso exclusivo à empresa chinesa administrada pela Foxconn, uma das maiores fornecedoras da gigante do mundo da informática Apple. 

Ele mostrou as duras condições na qual os trabalhadores produzem aparelhos como o iPad. 

Os trabalhadores são obrigados a morar em dormitórios com outras sete pessoas. Eles fazem exatamente a mesma função na fábrica seis dias por semana. 

O executivo Louis Koo, da Foxconn, respondeu a algumas acusações sobre o tratamento que os funcionários da fábrica recebem. Nos últimos anos, 18 deles cometeram suicídio. Para evitar que isso se repetisse, redes foram instaladas do lado de fora do prédio. 

Louis Koo disse que a empresa não estava preparada para o ritmo de transformação no mercado - que tem exigido cada vez mais aparelhos Apple - mas ele afirmou que a companhia está mudando aos poucos. 

Vejam o vídeo aqui: BONDE NOTÍCIAS

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Geografia...

Horário de verão chega ao fim com diminuição de 5% de demanda de energia; saiba quando será o próximo...

Publicado em: 24/02/2012 - 07:10 | Atualizado em: 24/02/2012 - 12:12
Chega ao fim à meia-noite deste sábado (25) mais uma edição – a 37.ª – do horário de verão brasileiro, em vigor desde 16 de outubro. Com isso, o sábado terá duas meias-noites e 25 horas para quem mora nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além da Bahia e do Distrito Federal.
Conforme estimativas da Copel, no Paraná a medida traduziu-se na redução de 5% nos níveis máximos de demanda por energia elétrica durante o período crítico do dia – o chamado “horário de ponta”, que se dá entre 18 e 21 horas (durante o horário de verão, das 19 às 22 horas). Isso corresponde a dispensar a adição de 215 megawattts de potência no sistema elétrico estadual durante as horas de maior consumo simultâneo, o que equivale à demanda máxima de Londrina e sua região metropolitana. Ou, ainda, a duas vezes a demanda na ponta de todo o Litoral durante o verão

Putin vai caminhando para reeleição...

Vladimir Putin conquistará em torno de dois terços dos votos nas eleições presidenciais da Rússia, evitando um humilhante segundo turno em sua tentativa de estender sua permanência no poder por mais seis anos, mostrou a última grande pesquisa de opinião antes das eleições, na sexta-feira.
O primeiro-ministro Putin espera vencer de forma convincente as eleições no dia 4 de março para atenuar o crescente movimento de protestos urbanos que o classifica como um líder autoritário que governa em um sistema político corrupto e rigidamente controlado.
A pesquisa do Levada Center, a maior empresa independente de pesquisas da Rússia, mostrou que Putin vencerá com entre 63% a 66% dos votos no dia 4 de março, bem à frente de seu rival mais próximo.
A vitória nas eleições dará a Putin, que governou a Rússia como presidente e primeiro-ministro desde que chegou ao poder no final de 1999, um mandato de seis anos como chefe do Kremlin.
Em 2000, Putin conquistou 53% dos votos e, em 2004, 71%, de acordo com os resultados oficiais. O seu protegido, Dmitri Medvedev, venceu com 70 por cento dos votos, em 2008, quando Putin foi impedido de disputar devido a limites constitucionais.

Empresas mundiais do ramo de tecnologia firmam acordo de privacidade

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR 
24/02/2012 | 09h28 | Segurança
Após alguns dias de o serviço de buscas mais famoso do mundo ter sido acusado de espionar os usuários da maçã, em troca de informações para desenvolvimento de campanhas de marketing mais eficazes. Seis das maiores empresas de tecnologia e comunicação no mundo, entre elas, Google, Apple, Amazon e Microsoft, firmaram um acordo de privacidade para a utilização de aplicativos móveis, buscando diminuir a exposição dos utilizadores das plataformas portáteis, que acabam perdendo sua privacidade ao compartilhar dados  através da compra de apps online. 

O novo plano que busca notificar os usuários de quais dados serão acessdos antes de efetuarem o download dos apps, foi apresentado na última quarta-feira (22) pela justiça norte-americana, mas pode começar a ser implementado em todo o globo, devido entre outras razões pela recente tentativa do Google de implantação de novas leis de liberdade de conteúdo de serviços como Gmail e Google Plus. Fato este que permitiria à empresa, de certa forma, maior controle sobre os dados de seus utilizadores.

O fato é que hoje 22 dos 30 aplicativos mais baixados não oferecem informações quanto a privacidade. Alguns deles permitem inclusive acesso às agendas de contatos dos usuários. O Google e a Apple se manifestaram favoráveis ao novo acordo, e a primeira complementou que com a nova ordem de segurança, seus utilizadores do Android terão ainda mais liberdade de escolher suas aplicações de forma a não comprometer a sua privacidade.

Governo arrecada recorde de R$ 102,6 bi em impostos em janeiro

24 de fevereiro de 2012 • 10h54 •  atualizado 12h01


LUCIANA COBUCCI
Direto de Brasília
O governo arrecadou o valor recorde de R$ 102,579 bilhões em impostos somente em janeiro deste ano, segundo informou nesta sexta-feira a Receita Federal. Descontada a inflação, o valor é 6,04% maior que o mesmo mês do ano passado. Esta é a primeira vez que a arrecadação mensal ultrapassa a marca dos R$ 100 bilhões.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Filme (documentário): LIXO EXTRAORDINÁRIO

Pessoal do 2º ano!
Abaixo uma indicação de filme (documentário):

Lixo extraordinário idealizado por Vik Muniz e dirigido por João Jardim.

O filme retrata a vida e a obra do artista plástico brasileiro Vik Muniz e a situação dos catadores de lixo do Jardim Gramacho (RJ), maior aterro sanitário da América Latina.

Lixo Extraordinário venceu como melhor documentário no Festival de Berlim (2010).

*Tenho no computador, quem quiser leve o pen-drive na quinta-feira.



O preço do progresso: acidez das águas oceânicas...

Pesquisa: acidez na água dos oceanos ameaça 30% das espécies
20 de fevereiro de 2012  09h40


Pesquisa da Universidade de Plymouth, no Reino Unido, indica que os oceanos do planeta estão ficando cada vez mais ácidos. No ritmo atual, segundo os cientistas, cerca de 30% das espécies marinhas podem ser extintas até o fim do século. De acordo com a pesquisa, a água do mar está ficando mais ácida devido ao dióxido de carbono.
Os cientistas examinaram a água abaixo dos vulcões, nas quais o dióxido de carbono ocorre naturalmente, para verificar como a vida marinha lida com a água mais ácida. Segundo os pesquisadores, nos próximos anos a água marinha começará a afetar alguns organismos e alguns tipos de corais não conseguirão sobreviver.
O trabalho foi apresentado pelo cientista britânico Jason Hall-Spencer, que estudou as aberturas vulcânicas no oceano. Segundo ele, a conclusão da pesquisa é um "aviso" sobre o futuro dos ecossistemas marítimos. O trabalho foi apresentado por ele durante conferência em Vancouver, no Canadá.
Hall-Spencer disse que examina as aberturas vulcânicas como uma máquina do tempo. "Nem todas as espécies estão calcificadas. Há conchas e esqueletos rígidos e existem outros organismos com corpos macios que também deixam o mar em busca de qualidade de vida", explicou.
O cientista ressaltou que há 55 milhões de anos ocorreu situação semelhante à identificada na pesquisa, que leva cerca de 10 mil anos para ocorrer. Segundo Hall-Spencer, os oceanos precisam de aproximadamente 125 mil anos para se recuperar e obter de volta a "química normal".
"Ou seja, o que fizermos ao longo dos próximos 100 anos ou 200 anos pode ter influência nos ecossistemas oceânicos de dezenas de milhares a milhões de anos. Essa é a implicação do que estamos fazendo com os oceanos agora", destacou Hall-Spencer.


"O amianto é talvez o produto industrial que mais mortes vai causar na história da humanidade"...

Proibido em países ricos, amianto ameaça população de nações em desenvolvimento


Dunkerque (França), manifestação nacional da associação de defesa de vítimas do amianto.

O amianto, um produto prejudicial à saúde, tem coberto com seu manto invisível a vida dos países desenvolvidos. Proibido nessa região do planeta, embora não extinto, atualmente ameaça a população dos países mais pobres. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de amianto.

Desde o começo do século passado, o amianto se tornou o principal material da maior parte das construções. O material é um grupo de minerais fibrosos, compostos de silicatos, caracterizado por suas fibras longas e resistentes, que podem se separar, apresentando a particularidade de poder ser entrelaçadas solidamente e resistir a altas temperaturas.No começo do século 20 se inventou um procedimento pelo qual, misturado com o cimento, dava lugar ao amianto cimento ou fibrocimento, utilizado especialmente nos encanamentos de água potável, telhas onduladas e – como é um produto ignífugo, que resiste muito bem ao calor – para recobrir elementos que precisam ficar expostos ao calor.

No trabalho, no lar e até no ar
Francisco Puche, membro da organização Ecologistas em Ação, editor, escritor, que faz parte da Federação Nacional de Vítimas do Amianto, explica que "já existiram até três mil produtos de diferentes tamanhos e condições que continham amianto, como por exemplo torradeiras, filtros de cigarros, filtros de água e encanamentos, pinturas impermeabilizantes, pastilhas e sapatas de freio, pavimentos”.

“Além disso, como era muito flexível, podia ser usado como tecido em cobertores ou tecidos isolantes, assim como na indústria naval. Estava em todas as partes, de modo que houve uma espécie de contaminação geral de fibras de amianto no ambiente", continua.


Mina Jeffrey em Asbestos, Québec (Canadá), que opera desde o final do século 19 e se dedica ao amianto branco.
Devido a essa variedade de usos, a exposição ao amianto atualmente pode ser ocupacional, doméstica ou ambiental. Em um estudo publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), no ano de 2006, se estimava em cem mil o número de pessoas que morrem por ano no mundo como consequência da exposição ao amianto.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), em um relatório realizado em 2010, assegurava que no mundo há cerca de 125 milhões de pessoas expostas ao amianto no local de trabalho e, segundo cálculos desta organização, a exposição laboral causa mais de 107 mil mortes anuais por causa de câncer de pulmão relacionadas com esse material.

Além disso, afirmava o relatório, um terço das mortes por causa de câncer de origem laboral são causadas pelo amianto.

O produto industrial mais mortal da história
Para Puche, o amianto é "talvez o produto industrial que mais mortes vai causar na história da humanidade, mais do que o tabaco, porque vem sendo usado há muito tempo e porque também é muito difundido".

Cerca de 70% das pessoas que estão expostas no trabalho caem doentes, mas também faz adoecer 30% dos que não estão assim expostos, ou seja, as pessoas que vivem perto de fábricas ou que são parentes dos próprios trabalhadores.

O amianto em sua elaboração industrial se esmiúça em fibras muito pequenas. Da ordem de uma milionésima parte de um metro, que passam a ser fibras invisíveis e indestrutíveis, "em grande parte porque são muito resistentes aos ácidos e ao fogo, portanto permanecem quase mais tempo que a energia nuclear e está em todas as partes, no ar, na água e, portanto, nos alimentos", explica o ecologista.

Puche assinala que "as primeiras informações sobre os males do amianto para a saúde remontam ao ano de 1898. Depois, ao longo dos primeiros 50 anos do século 20, foram feitos estudos científicos cada vez mais sérios onde se foi demonstrando a toxicidade deste mineral. O problema é que houve muito tempo de latência entre a exposição e a morte ou surgimento da doença, e por outro lado a fibra é invisível, não se vê nem tem cheiro".

Mas, além disso, Puche lamenta que tenha havido "uma grande conspiração do silêncio porque era um material muito rentável, muito flexível, servia para muitas coisas e não interessava de nada para as empresas que se descobrisse sua toxicidade. Somente no começo da década de 90, e sobretudo a partir de 2000, que se começou a proibir o produto nos países desenvolvidos. De fato, atualmente é proibido em 55 países".

Países em desenvolvimento
O que a princípio foi um fenômeno nos países desenvolvidos, atualmente a construção com este material barato emerge nos países em desenvolvimento, com a consequente incidência futura que terá sobre a saúde de suas populações.

"No século 20, até a década de 1990, os países mais afetados eram os Estados Unidos e os da Europa, ou seja, onde mais se consumia amianto. Agora, como lá é proibido, os países mais afetados são Rússia, China, Índia e alguns da África. Na América Latina, a metade de seus países também foi muito afetada, mas já começa a haver um processo de proibição que começou na Argentina, Chile e parte do Brasil".
O Brasil um dos maiores produtores mundiais de amianto. Segundo a Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (Abrea), o mineral é utilizado em quase 3 mil produtos industriais, como telhas e caixas d'água. O baixo custo do produto e sua alta resistência favorecem o consumo.

Outra das arbitrariedades que se cometem, diz o ecologista e escritor, é que "países onde seu uso é proibido, como no Canadá, o amianto é extraído mas não consumido, sendo exportado para outros para que o transformem. São empresas instaladas em países com o amianto regulamentado, mas com interesses econômicos em outras empresas localizadas em países onde ele não está".

"Há muita cumplicidade entre os países desenvolvidos onde se encontra um tremendo problema na hora de eliminar o amianto", adverte Puche.

"Costuma-se assegurar que o amianto não prejudica mais a saúde, mas isso não é verdade, porque constantemente ele está sendo quebrado ou manipulado e, como por cada 12 milímetros de largura de uma placa pode sair um milhão de fibras que podem ser inaladas, se torna um enorme risco cancerígeno. Há gente que com uma dose muito pequena pode contrair câncer de pulmão depois de 30 ou 40 anos. Esse é o problema", acrescenta o especialista.

Também, uma das atuações de muito duvidosa moralidade é a que explica o ecologista que está acontecendo em alguns países onde "os navios que foram construídos há mais de dez anos estão cheios de amianto e, na hora de seu desmantelamento, são enviados aos países asiáticos pobres. Ali, as pessoas, por três dólares ao dia, se dedicam a tirar o amianto sem nenhum tipo de proteção e é gente muito jovem, por isso que o número de mortes que haverá dentro de 30 ou 40 anos vai ser imenso".

E para pôr fim a este grave problema de saúde pública ao qual a população está exposta, Puche diz: "Há lugares muito sensíveis porque há crianças, idosos e doentes onde existe o amianto. Portanto, uma das coisas que nós pedimos é que se faça um registro dos lugares e prédios sensíveis. A partir daí, realizar um programa para desamiantar, começando pelo mais urgente, e dedicar um orçamento em nível governamental"

Circo...

Hoje acordei pensando... O que seria do circo sem os palhaços? Tem gente que acha que inventa uma roda todo dia... Acaba não bRaZiU!