domingo, 29 de abril de 2012

Mortalidade infantil cai quase pela metade em dez anos, constata IBGE

Rio de Janeiro - Dados divulgados hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a mortalidade infantil caiu quase pela metade entre 2000 e 2010.

Os resultados gerais da Amostra do Censo 2010 constatam que o número de óbitos de crianças menores de 1 ano passou de 29,7 para 15,6 em cada mil nascidas vivas, uma queda de 47,6%.

Entre as regiões do país, o Nordeste registra a queda mais expressiva da mortalidade infantil. No período, o índice passou de 44,7 para 18,5 óbitos para cada mil crianças. Porém, ainda é o nível mais alto no país. O menor índice é o do Sul, de 12,6 mortes.

De acordo com a pesquisa, os principais fatores responsáveis pela queda do indicador são as políticas de medicina preventiva, curativa, saneamento básico, programas de saúde materna e infantil, além da valorização do salário mínimo e dos programas de transferência de renda.

O IBGE também destaca que a queda da mortalidade infantil está ligada ao aumento da escolaridade materna e à diminuição do número de filhos por mulher, observada desde a década de 1960. Entre 2000 e 2010, a taxa de fecundidade registrou queda e passou de 2,38 crianças por mãe para 1,9. A menor taxa é a do Sudeste (1,7 filho por mulher) e a maior, no Norte, 2,47.

Segundo o órgão, dessa forma, a taxa de fecundidade no Brasil está abaixo do chamado nível de reposição (2,1 filhos por mulher), que garante substituição das gerações na população

Mercadante: royalties de petróleo podem ajudar educação...


O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse neste domingo, no 11º Fórum de Comandatuba, que está nas mãos do Congresso Nacional aprovar medidas que destinem parte de divisão dos royalties de petróleo para a educação. Segundo Mercadante, com a nova arrecadação, seria possível ter mais recursos para destinar ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
O ministro disse ainda que o País deve focar em ciência, tecnologia e educação para poder fazer com que os recursos do Pré-Sal ajudem o País a se desenvolver social e economicamente. "Venezuela e Noruega descobriram quase ao mesmo tempo campos de petróleo e cada país é o que é", disse. "Não podemos cometer os erros que já conhecemos, temos de nos unir para o País do futuro, que não terá petróleo."
O projeto de distribuição dos recursos arrecadados na exploração do petróleo, atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados, foi aprovado pelo Senado em outubro do ano passado. Desde então, tem recebido críticas de Estados produtores por reduzir as fatias a que teriam direito, além de diminuir o que seria destinado à União e a municípios produtores.

Bruxelas prevê 200 mil milhões para estimular UE...


A Comissão Europeia vai tomar medidas para permitir o regresso da Europa ao crescimento.
Confrontada com um aumento das vozes que rejeitam a austeridade como a única solução possível para os problemas europeus, Bruxelas está agora a ultimar um plano para conseguir injectar até 200 mil milhões de euros na economia europeia, em particular nos países que estão em maiores dificuldades, como Portugal, Grécia ou Espanha, noticiou ontem o jornal espanhol ‘El País'. Esta fonte precisou que as propostas vão ser apresentadas na próxima cimeira do Conselho Europeu, que se realizará nos dias 28 e 29 de Junho, após as presidenciais em França.

Água do mar entra em plataforma e provoca inclinação...

Uma plataforma de petróleo ancorada na Baía de Guanabara adernou no final da noite deste sábado e colocou em risco as instalações da Marinha na Ilha das Cobras e um submarino que estava ao lado. Os cem tripulantes a bordo tiveram de ser retirados às pressas, por medida de precaução.
Pertencente à empresa Transocean, que presta serviços de perfuração à indústria de óleo e gás em países produtores, a plataforma Artic 1 estava parada desde o primeiro trimestre no cais do Arsenal de Marinha, na Ilha das Cobras. Ela vinha sendo submetida a reparos e a serviços de manutenção.
O risco de a plataforma inclinar-se ainda mais levou os oficiais de plantão no 1º Distrito Naval (representação da Marinha no Estado do Rio), vizinho ao Arsenal de Marinha, a decidirem pela retirada do submarino, que poderia vir a ser atingido. As instalações do Arsenal estavam na rota da inclinação e foram esvaziadas, embora poucos funcionários estivessem no local, por causa do horário tardio e do feriado prolongado pelo Dia do Trabalho.
Em nota, a Capitania dos Portos do Rio de Janeiro informou que a inclinação atingiu 3 graus, mas já está controlada. De acordo com o informe, a Transocean comunicou que a inclinação resultou da entrada indevida de água do mar em um dos quatro pilares da plataforma.
"O fato não causou poluição hídrica e não causa risco à navegação. Não houve feridos. O embarque de água foi controlado e a plataforma está estabilizada. Uma equipe da Capitania dos Portos encontra-se no local acompanhando o retorno da Artic 1 à sua posição vertical", diz a nota da Marinha.
A suposta estabilização da plataforma foi conseguida depois que um guindaste e dois rebocadores prenderam cabos de aço à plataforma, na tentativa de evitar que o processo de inclinação se acentuasse.
A Marinha proibiu o acesso  de jornalistas ao Arsenal de Marinha. Do alto do viaduto Perimetral, avistava-se a plataforma, com inclinação nítida para o lado direito. A Transocean não se manifestou sobre o problema. Na sede da empresa, em Macaé (município no litoral do Estado do Rio), ninguém atendeu aos telefonemas.
Boias de contenção foram espalhadas ao redor da plataforma, como medida de prevenção a vazamentos. Aparentemente, o óleo e os fluidos da plataforma não vazaram.
No Brasil, a Transocean atua em campos petrolíferos em alto-mar (offshore). A empresa foi a responsável pela perfuração do poço, operado pela companhia norte-americana Chevron, no Campo de Frade (Bacia de Campos, litoral do Estado do Rio), de onde vazou petróleo, em novembro do ano passado.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Como lidar com o problema das sacolas plásticas?

Como lidar com o problema das sacolas plásticas?

Atualizado em  4 de abril, 2012 - 12:15 (Brasília) 15:15 GMT

Os supermercados de São Paulo deixam, nesta quarta-feira, de distribuir gratuitamente sacolas plásticas no Estado. Medidas semelhantes começam a ser discutidas pela União Europeia para reduzir gradualmente o uso das sacolas no continente.
Mas qual seria a melhor maneira de lidar com os problemas ambientais causados pelo uso excessivo de sacos plásticos?
No caso de São Paulo, a medida trará uma redução de até 7 bilhões no número de sacolas plásticas descartadas no Estado, segundo estimativa da Apas (Associação Paulista de Supermercados).
Com isso, os supermercados terão uma economia mensal de R$ 17,5 milhões. Mas segundo João Galassi, presidente da entidade, o objetivo da medida é ambiental e não econômico.
A Apas estuda também uma forma de emprestar sacolas reutilizáveis para consumidores que forem aos supermercados, as chamadas "ecobags", geralmente feitas de plástico ou tecido.
Na Europa, diversos países já trabalham individualmente na redução das sacolas plásticas. Contudo, a Comissão Europeia se prepara agora para enfrentar o problema em todo o bloco.
Segundo o órgão executivo da União Europeia, 27 países do bloco jogam fora anualmente 800 mil toneladas de plástico. Isso representa cerca de 4 bilhões de sacolas (191 unidades por pessoa, segundo estimativa de 2010), número bem inferior ao do Estado de São Paulo.
"O impacto desse lixo plástico pode ser visto sujando nossa paisagem, ameaçando a vida selvagem e se acumulando como 'sopa plástica' no oceano, cobrindo mais de 15 milhões de quilômetros quadrados", afirma o comissário de ambiente Janez Potocnik.

Soft power do Brasil...

O Brasil pode estar desperdiçando uma oportunidade única de fortalecer o chamado "soft power" no cenário internacional, com impacto positivo na sua economia, aproveitando o corrente interesse por sua produção cultural.
Essa é a opinião de especialistas ouvidos pela BBC Brasil, que dizem que esse interesse tem aumentado nos últimos anos, em parte pela projeção do país como nova potência econômica, mas também turbinado por ações isoladas de setores ligados ao governo e de grupos privados.
Enquanto o governo instala bibliotecas de fronteira e incentiva o lançamento de escritores brasileiros em outras línguas, agentes privados levam ao exterior eventos antes só disponíveis no Brasil, caso do festival Back2Black, uma das mais de dez grandes atrações brasileiras a desembarcar em Londres até os Jogos Olímpicos (veja quadro abaixo).
Mas especialistas alertam: se estas iniciativas não forem coordenadas e representarem uma estratégia deliberada, os benefícios que a crescente economia brasileira teria por meio da exportação e poder de sedução de seus valores - o chamado soft power - podem ser limitados.
"Soft Power" é um conceito elaborado pelo professor americano Joseph Nye para definir a capacidade de países influenciarem relações internacionais e intensificarem trocas comerciais através da sedução de produtos como filmes, música, moda, mídia e turismo. A economia dos Estados Unidos, por exemplo, se beneficia da ampla exposição de seus produtos por meio dos filmes de Hollywood.
O termo se contrapõe ao chamado "hard power", que define ações militares e bloqueios comerciais, por exemplo.
"O Brasil exerce naturalmente o soft power", diz Nye em entrevista à BBC Brasil. "Se você observar a cultura brasileira e seu impacto, verá que a imagem do país é originalmente positiva, mesmo antes do avanço econômico recente. Pode ser que isso tenha a ver com o futebol, mas o fato é que há uma percepção de que o Brasil lidou bem com questões caras a outros países, como a racial. Ou seja, é portador de valores como tolerância. E isso é importante", resume.

Venda de água mineral já sofre reajuste pelos selos...

Já entrou em vigor desde o dia 1º de abril a determinação da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) que obriga os comerciantes a apresentar um selo fiscal que atesta a procedência nos garrafões de água mineral. A iniciativa já é adotada nos estados de Alagoas, Paraíba e Pernambuco.
A fiscalização será feita pela Sefaz em conjunto com a vigilância sanitária. A previsão é que a fiscalização ocorra a partir da próxima semana. Segundo informações da Secretaria, nesse primeiro momento não haverá autuações, mas apenas orientação, tendo as distribuidoras até o dia 30 de abril para cumprir as determinações e fazer a aquisição do selo.
A adoção de um selo de qualidade e controle já havia sido definida desde o segundo semestre do ano passado, a partir de uma série de discussões com as empresas engarrafadoras. O selo será adquirido pelos próprios engarrafadores, sob a autorização da Secretaria. “O pedido será feito pelo site da Sefaz, onde ele encaminha a solicitação e a Sefaz faz a verificação da situação da empresa e assim faz a autorização do selo. Ao todo são oito empresas no estado", o assessor de comunicação da Sefaz, Helber Andrade.

A recomendação é para que o consumidor se recuse a adquirir garrafões sem o selo de qualidade. Em setembro de 2011 uma operação flagrou a comercialização de água mineral de forma ilegal em município sergipan
o

População com mais de 60 anos será maior que a de crianças com menos de 5 anos...

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alerta os países para adoção de medidas que garantam o envelhecimento saudável da população. Esse é o tema escolhido pela entidade para o Dia Mundial da Saúde, a ser celebrado no próximo sábado (7), e que marca os 64 anos de fundação da entidade. 

O alerta da OMS decorre da previsão de que, dentro de poucos anos, pela primeira vez, a população com mais de 60 anos de idade será maior que a de crianças com menos de 5 anos. Até 2050, 80% dos idosos estarão vivendo em países pobres ou em desenvolvimento. 



De acordo com as recomendações da OMS, as autoridades de saúde precisam conter as doenças crônicas não transmissíveis que mais atacam os idosos, como ataque cardíaco, câncer, diabetes e doenças pulmonares.
De acordo com a diretora-geral da OMS, Margareth Chan, as pessoas em países pobres têm risco, quatro vezes mais maior, de morrer ou sofrer alguma deficiência por causa de uma doença crônica em comparação as que vivem em nações ricas.

Chan observa que a maioria das enfermidades relacionadas à velhice pode ser prevenida ou submetida a tratamento de baixo custo. Exemplo disso é o controle da pressão sanguínea, fator de diminuição do risco de infarto. No entanto, menos de 15% dos idosos em países pobres e em desenvolvimento adotam procedimentos para controlar a pressão alta.

A organização recomenda a adoção de medidas para diagnóstico precoce de doenças crônicas e a promoção de hábitos saudáveis em todas as faixas etárias.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Enquanto isso no DEM...


O processo de expulsão do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) ainda nem começou e o presidente do Democratas, senador José Agripino Maia (RN), já dá a saída dele como certa. Para Agripino, Demóstenes foi “uma decepção” e “dificilmente o partido não tomará essa posição” de expulsá-lo.
“O incômodo partidário está posto. A Casa, o Senado, está em xeque. A classe política, como um todo, também está. Mas quem mais está em xeque é a formulação programática do partido. É a conduta partidária do Democratas, que não convive com a perda do padrão ético”, declarou o presidente do DEM após reunião com a cúpula do partido em sua casa, em Brasília.
Na opinião de Agripino Maia, Demóstenes Torres reiteradamente se desviou da conduta partidária quando se relacionou intimamente com o controlador do jogo do bicho no estado de Goiás, Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal flagraram o senador e o bicheiro em conversas nas quais tratam de dinheiro, de informações privilegiadas e do destino de projetos de lei que interessavam a Cachoeira. Além disso, o próprio senador admitiu que recebeu como presente de casamento de Carlinhos Cachoeira eletrodoméstico no valor de R$ 30 mil.


Comissão Europeia propôs hoje criação de polícia para o cibercrime...

A Comissão Europeia propôs esta quarta-feira a criação de um Centro Europeu de Cibercrime, especialmente concebido para fazer face às ameaças online.

 Ocentro, que será criado dentro do Serviço Europeu de Polícia, a Europol, em Haia, na Holanda, servirá para «ajudar a proteger os cidadãos e empresas contra as ciberameaças». 
As suas funções passarão por combater as «actividades ilegais online», atribuídas ao crime organizado, segundo o Dinheiro Vivo.

Brasil quer Internet em todo o país...

O Brasil vai lançar em 2014 um satélite para alargar a todo o país a cobertura da Internet de banda larga e que terá também fins militares, anunciou na segunda-feira o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo Silva.

O satélite exigirá um investimento de 750 milhões de reais (308 milhões de euros) e será desenvolvido pela empresa pública brasileira de telecomunicações Telebrás e pela fabricante aeronáutica Embraer.
O ministro brasileiro das Telecomunicações explicou, citado pela Agência Brasil, que o satélite vai permitir oferecer uma ligação à Internet de banda larga a 40 milhões de lares, incluindo em zonas remotas, como a região da Amazónia.
De acordo com o Governo brasileiro, o satélite permitirá ainda responder às necessidades de comunicação das Forças Armadas.
O satélite deverá ser lançado fora do Brasil, porque o país carece de tecnologia necessária para o colocar em órbita geoestacionária.
Por outro lado, o Executivo do Brasil prevê lançar nos próximos meses um concurso para conceder frequências para a quarta geração móvel (4G) com o objectivo de alargar o acesso à Internet de alta velocidade em dispositivos móveis até 2014, ano em que o país vai organizar o Mundial de Futebol.
O Brasil lançou em 1985 o primeiro satélite de telecomunicações, propriedade da empresa estatal Embratel, e dispõe de outros dois para a recolha de dados ambientais e de três, em parceria com a China, também para fins científicos
Diário Digital/Lusa

Indústria: Produção cresce 0,6% na zona euro em Fevereiro...


A produção industrial registou um avanço em fevereiro deste ano, face a janeiro, de 0,6 por cento na zona euro, com Portugal a mostrar um abrandamento, revela hoje o Eurostat.
De acordo com números divulgados pelo gabinete de estatísticas da União Europeia (UE), o avanço no total dos 27 Estados-membros foi também de 0,8 por cento.
Portugal, que tinha registado em janeiro um crescimento mensal de 2,3 por cento, recuou em fevereiro, mês em que a produção industrial aumentou 0,2 por cento.
Diário Digital / Lusa 

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Brasil tem de elevar investimentos sem descuidar de saúde e educação, diz Dilma...

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o Brasil vai ter que continuar fazendo gastos para melhorar a saúde e educação, apesar da necessidade de fazer com que a taxa de investimento total do país - que engloba aportes públicos e privados em infraestrutura e equipamentos, por exemplo - chegue a 24% do PIB (atualmente a taxa está em 19,3%, segundo o IBGE).
Em declaração feita em Nova Déli, na Índia, após a Quarta Cúpula dos Brics (Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul), a presidente disse que nem sempre é possível cortar gastos no governo.
"O que nós temos que fazer é aumentar o investimento do governo e o investimento privado. Temos necessariamente de fazer esse esforço", disse.

Como fica o seu salário em comparação com outros países?

Se o mundo não estivesse dividido entre ricos e pobres, e todos pudessem obter a mesma parcela dos rendimentos globais, quanto cada pessoa receberia por mês? De acordo com pesquisadores da Organização Internacional do Trabalho (OIT), esse valor seria de US$ 1.480 (R$ 2,7 mil).
Mas como os pesquisadores chegaram a este número?
O valor total da receita mundial está em US$ 70 trilhões (R$ 127 trilhões) por ano, e há 7 bilhões de pessoas no planeta. Logo, por uma conta mais simples, a média de rendimentos anuais estaria em cerca de US$ 10 mil (R$ 18 mil) por pessoa por ano.
Mas nem todos têm o mesmo salário e, dentre a população mundial, muitos estão fora da força de trabalho.
Complexo, o cálculo do salário médio mundial tem sido parte de um projeto da OIT, que é ligada às Nações Unidas, e esta é a primeira vez que as cifras são divulgadas.
Foram usados dados de 72 países, coletados em 2009, e somente a massa assalariada foi levada em consideração. Autônomos - a maioria em alguns países em desenvolvimento - e pessoas que vivem com a renda de benefícios sociais não foram incluídos.
Primeiramente, foi calculado o salário total para cada país, e nações mais populosas tiveram peso maior. Após somar as médias de todos os países, os pesquisadores dividiram o total pelo número de assalariados registrados e chegaram à cifra de R$ 2,7 mil mensais – ou cerca de US$ 18 mil (R$ 32 mil por ano).

Dilma irá aos EUA atrás de 'know-how e inovação, não de dinheiro...

Sinal dos avanços e desafios do Brasil, a presidente Dilma Rousseff desembarcará nos Estados Unidos, na próxima semana, buscando "não dinheiro, e sim know-how e inovação", nas palavras do presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Mauro Borges Lemos.
Em um seminário na capital americana, Washington, Borges Lemos transmitiu a mensagem de que o Brasil tem recursos para investir no seu próprio desenvolvimento – mas precisa de parceiros internacionais, como os EUA, para fazer maior progresso nas áreas de educação, pesquisa e desenvolvimento, cruciais para o crescimento sustentável.
"Nosso problema não é de financiamento e sim de tecnologia", disse o executivo, apontando que o país pode contar com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da agência Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para impulsionar projetos industriais.

Colégio Geração na Observação Astronômica...

Alunos do Colégio Geração participaram da Observação Astronômica Solar e Lunar no último sábado (31.03.12). O evento foi promovido pelo Grupo Centauro de Astronomia Amadora, Grupo de Astronomia Edmond Halley e pelo PET da Fìsica-UEM.








Unidos, Brics podem mudar modelo econômico...

Na reunião dos Brics, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, na Índia, a posição tirada foi a de que certos organismos globais estão superados no tempo. Precisam ser reformulados, pois não representam mais a realidade. Foram concebidos no final ou após a Segunda-Guerra Mundial pelos que a venceram, ou seja, Estados Unidos (EUA), União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), Reino Unido (UK, em inglês), França e China. Os então criados Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (Bird), na sigla em inglês) davam as cartas. Com quase 200 países filiados e cotas pagas por cada um - quanto mais cotas mais o direito de saques e poder de mando -, o FMI teve seus momentos de glória. Os EUA, como detentores do maior número de cotas no Fundo e no Banco Mundial, se adonaram dos postos-chave e, com os europeus, trataram de partilhar o botin das finanças mundiais. Por isso os Brics querem criar o seu próprio banco de desenvolvimento. Hoje, a política monetária acomodatícia das grandes potências gera fluxos de capital enormes e potencialmente desestabilizadores nas economias emergentes.
No entanto, não basta ser emergente e estar melhor nos dias da crise nos EUA e Europa. A macrounião é fundamental. A China é acusada pelo yuan desvalorizado artificialmente. A Rússia bloqueia a carne brasileira. A Índia comprará 126 aviões de combate franceses. Apesar disso, a cúpula de Nova Délhi avançou na formação de aliança das bolsas de valores dos Brics, o que deve gerar investimentos em novos produtos nos mercados que estão crescendo. Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul começaram a fazer listagens cruzadas de derivativos de índices de ações referenciais na BM&FBovespa, Micex-RTS, Bombay Stock Exchange, Hong Kong Exchanges and Clearing Ltd. e Johanesburgo Stock Exchange. A iniciativa conjunta chamada de Bricsmart dará aos investidores facilidade de acesso aos mercados emergentes em operações com derivativos de índices de ações referenciais.
Então, não surpreende quando o Banco Mundial se interessa em ser parceiro do banco de desenvolvimento proposto pelas cinco maiores economias emergentes, segundo seu presidente, Robert Zoellick. Porém, ele citou possíveis obstáculos no caminho para a criação de tal instituição de crédito multilateral. “Suspeito que seríamos capazes de nos complementar trabalhando em conjunto”, lembrou. O crescimento mundial virá da expansão do investimento e do consumo, em amplos mercados internos das principais economias e no crescimento equilibrado do comércio planetário.
A presidente Dilma Rousseff afirmou para 300 empresários brasileiros e indianos que os Brics - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - precisam levar “uma forte mensagem de coesão política” para a reunião de cúpula do G-20, em junho, no México. Com quase 70 anos de existência, é certo que nem o Banco Mundial nem o FMI e nem a ONU - bastante esclerosados - têm hoje a mesma legitimidade e eficácia em um mundo que mudou demais. O ministro de Comércio indiano, Sharma Annad, afirmou que este é o século dos Brics. Importante é o Brasil continuar macroeconomicamente sério e prudente. Olhando a inflação com um olho e o desenvolvimento com o outro. Vamos torcer que assim seja. (Fonte)
Fonte: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Argentina apela à Cruz Vermelha para identificar mortos nas Malvinas...

Argentina apela à Cruz Vermelha para identificar mortos nas Malvinas

Atualizado em  2 de abril, 2012 - 16:47 (Brasília) 19:47 GMT
Cristina Kirchner. AFP
Cristina quer o reconhecimento dos argentinos enterrados em um cemitério nas Malvinas
A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, disse nesta segunda-feira que pediu ajuda à Cruz Vermelha para que sejam identificados os soldados mortos na guerra das Malvinas, em 1982.
"Mandei uma carta à Cruz Vermelha Internacional pedindo que interceda junto ao Reino Unido para poder identificar os homens argentinos e ingleses que ainda não foram identificados", afirmou. "Cada familiar, cada mãe, tem o direito de ter uma lápide para chorar seus mortos".

Estima-se que 123 corpos de soldados argentinos permanecem sem identificação, sepultados no cemitério de Darwin, no arquipélago no Atlântico Sul, segundo a Comissão de Ex-Combatentes das Ilhas Malvinas, com base na cidade de La Plata. As lápides dos soldados desconhecidos, escritas em cruzes brancas, limitam-se à descrição: "Soldado argentino somente conhecido por Deus"As declarações foram feitas durante discurso que realizou na cidade de Ushuaia, na Província da Terra do Fogo, na Patagônia, onde liderou cerimônia pelos 30 anos da guerra com a Grã-Bretanha.

Conflito entre rebeldes e o governo ditador Sírio completa 1 ano...

O conflito na Síria, que já deixou 8 mil mortos segundo a ONU, não vem poupando nem mesmo crianças.
Militante carrega cartaz com rosto do jovem Hamza al Khatib, cujos parentes dizem ter sido morto por tropas sírias (BBC)
Menino que teria sido morto e torturado virou símbolo de rebeldes
O confronto entre forças rebeldes que lutam contra o regime de Bashar al Assad já matou centenas de menores de idade.
Grupos de direitos humanos relatam que muitas crianças foram presas e até torturadas, caso do jovem de 13 anos Hamza al Khatib, que teria sofrido torturas terríveis antes de ter sido morto. O garoto se tornou um dos símbolos da revolta.
A guerra civil na Síria completou um ano nesta semana e não há sinais de que o conflito vá arrefecer.

Circo...

Hoje acordei pensando... O que seria do circo sem os palhaços? Tem gente que acha que inventa uma roda todo dia... Acaba não bRaZiU!