quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

18 e 19 de fevereiro... mortos na Síria...


Agências humanitárias alertam para alto número de crianças mortas na Síria

Atualizado em  27 de fevereiro, 2013 - 00:00 (Brasília) 03:00 GMT BBC BRASIL
Agências humanitárias internacionais se mostraram "chocadas" com o alto número de crianças mortas na Síria na semana passada.
Ao menos 70 crianças morreram em decorrência dos ataques com mísseis perpetrados pelo regime em áreas residenciais da cidade de Aleppo no dias 18 e 19 de fevereiro – muitos bairros foram reduzidos a escombros.
Os números foram levantados durante uma investigação da ONG internacional Human Rights Watch que apontou ainda a morte de 140 civis.
Ao mesmo tempo, a Unicef, agência das Nações Unidas ligadas à infância, condenou a morte de ao menos 20 crianças que estavam em sala de aula numa escola primária da capital síria, Damasco, no dia 21 de fevereiro, durante a explosão de um carro-bomba.
Segundo a ONU, mais de 70 mil pessoas já morreram no país na guerra civil entre o regime do presidente Bashar al-Assad e os rebeldes, que exigem sua renúncia, e que já dura quase dois anos.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Eleições na Itália...


Entenda as eleições na Itália

Atualizado em  24 de fevereiro, 2013 - 07:39 (Brasília) 10:39 GMT BBC BRASIL
Italianos votam de olho na recuperação econômica do país, que vive uma de suas piores crises.
Os italianos vão às urnas neste domingo e segunda-feira (24 e 25 de fevereiro) para votar em eleições parlamentares antecipadas. Das urnas deve surgir um novo primeiro ministro, que terá ou de conduzir a recuperação econômica do país, ou de lidar com o agravamento da crise econômica europeia.
Realizada três meses antes da data prevista, as eleições foram convocadas após o Partido Povo da Liberdade (PDL, na sigla em italiano), do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, retirar seu apoio ao governo tecnocrático de Mario Monti.
Como promessas de campanha, o ex-premiê tem manifestado a intenção de reverter algumas das políticas de cortes e medidas de austeridade implementadas por Monti, que são impopulares entre os eleitores.Pesquisas de opinião mostram que o partido de Berlusconi, que renunciou em meio a uma série de escândalos sexuais e fraude fiscal, tem se saído bem entre as intenções de voto.

Quais são os principais partidos e seus líderes?

Uma das forças é a coalizão de centro-esquerda liderada pelo ex-comunista Pier Luigi Bersani, do Partido Democrático (PD), que formou aliança com a Esquerda, Ecologia e Liberdade (SEL, na sigla em italiano).
Já o grupo de Berlusconi é composto por uma aliança entre o seu PDL e a Liga Norte, de extrema direita. Alvo de polêmicas, o magnata da mídia já foi primeiro-ministro da Itália por três vezes. A Liga Norte é chefiada por Roberto Maroni.
A terceira principal força é a coalizão de centro liderada pelo atual premiê, Mario Monti, que formou um governo tecnocrático após a renúncia de Berlusconi, com a missão de salvar o país da crise da zona do euro.
Esse grupo inclui o partido de Monti, conhecido como Escolha Cívica, os Cristãos-Democratas e um partido de centro-direita menor, chamado Futuro e Liberdade para a Itália. Monti é um senador vitalício no Congresso italiano e por isso não está concorrendo pessoalmente. No entanto, ele pode ter um papel central na campanha e poderia retornar ao posto de primeiro-ministro caso sua coalizão saia vencedora nas urnas.
Chama atenção ainda o Movimento Cinco Estrelas, ou M5S. Trata-se do grupo criado pelo comediante Beppe Grillo, que acabou se tornando uma liderança política e se saído bem nas eleições regionais. O grupo é visto como "curinga" nas eleições.

Cuba...


Raul Castro defende abertura, não capitalismo, em Cuba

Raul Castro discursa na Assembleia cubana (Foto: Raquel Perez)
Castro: 'Não me elegeram presidente para restaurar o capitalismo'
O presidente de Cuba, Raúl Castro, defendeu mudanças no regime cubano, sem abrir mão do socialismo.
Em um discurso de duas horas encerrando os trabalhos da Assembleia Nacional, no sábado, Raul Castro disse que não foi eleito para "restaurar o capitalismo em Cuba", mas reconheceu que foi um erro "estatizar quase toda a atividade econômica do país".
"Temos o dever fundamental corrigir os erros que cometemos nessas cinco décadas de construção do socialismo em Cuba", afirmou o líder cubano.
Castro lembrou que tanto Karl Marx quanto Vladimir Lênin, ideólogos do comunismo, definiram que o Estado só deveria "manter a propriedade sobre os meios fundamentais de produção".
Entretanto, o presidente cubano estabeleceu o limite das mudanças. "O planejamento, e não o mercado, será o traço definitivo da economia e não se permitirá a concentração da propriedade. Mais claro que isso, nem água

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Vilas do câncer na China...


China admite que pode ter 'vilas do câncer'

Atualizado em  22 de fevereiro, 2013 - 12:14 (Brasília) 15:14 GMT BBC BRASIL
O Ministério do Meio Ambiente da China parece ter reconhecido pela primeira vez que altos níveis de poluição podem estar relacionados à elevada incidência de casos de câncer em algumas localidades do país.
Há quatro anos, um jornalista publicou um mapa que identificava essas localidades e as chamava de "vilas do câncer".
O reconhecimento foi feito em um relatório do ministério, publicado em um momento em que está ganhando força no país um debate sobre os problemas causados pela poluição e o lixo industrial resultantes do modelo de desenvolvimento chinês.
Meios de comunicação chineses têm divulgado relatos e dados mostrando que a incidência de câncer nesses vilarejos situados perto de fábricas e rios poluídos disparou nas últimas décadas.
Em seu relatório, o Ministério do Meio Ambiente da China também menciona que as indústrias chinesas podem usar algumas substâncias químicas proibidas em países desenvolvidos por serem consideradas nocivas à saúde humana

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Microapartamentos... aumento da densidade demográfica...


Microapartamentos: o 'futuro' chegou a SP?

Atualizado em  19 de fevereiro, 2013 - 09:04 (Brasília) 12:04 GMT
Projeto de apartamento da Vitacon (Foto Divulgação)
Microquitinete em Perdizes: área útil pequena, mas amplo lazer e serviços
Pela lei brasileira, cada preso deve ter um mínimo de 6m² nos centros de detenção do país. Mas se um casal resolver morar em um dos microapartamentos de luxo lançados nos últimos meses em bairros nobres de São Paulo pode ter apenas o dobro desse espaço per capita para chamar de "lar, doce lar".
Segundo um levantamento feito para a BBC Brasil pela Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), em 2012 foram lançados na cidade de São Paulo um total de 2.818 unidades residenciais de menos de 35m², um aumento de mais de 16 vezes em relação a 2008 (quando os lançamentos totalizaram 169 unidades).

Além disso, os imóveis projetados para abrigar famílias estão cada vez menores. Hoje não é raro encontrar um lançamento de dois quartos com algo em torno de 55 m², por exemplo, o que ajuda a movimentar o filão dos móveis dobráveis e das revistas especializadas nos "segredos" da decoração de espaços pequenos.Só para citar alguns exemplos, a incorporadora e construtora Vitacon acaba de lançar um imóvel de 25 m² na Vila Olímpia e outro de 21 m² em Perdizes; a MAC lançou o empreendimento "Now" no Alto da Boa Vista, que tem alguns apartamentos de 31 m²; e a Fernandez Mera promete entregar em abril o Vila Nova Concept, na Vila Nova Conceição, que tem estúdios de até 30 m² em edifícios com SPA, academia, home theater e espaço gourmet.
"Por volta de 2007 e 2008 houve um grande número de lançamentos de apartamentos de três ou quatro dormitórios", explica Luiz Paulo Pompéia, diretor da Embraesp. "Agora, a surpresa são esses microapartamentos, que não raro se apresentam como empreendimentos de luxo, ficam em bairros bem localizados e oferecem serviços e área de lazer."
Segundo Pompéia, os apartamentos de até 35 m² visam atender a uma demanda criada, de um lado, por mudanças sociais e demográficas, como a redução do tamanho das famílias brasileiras, o aumento do número de solteiros e o envelhecimento da população, que infla o grupo dos idosos morando sozinhos.
Do outro, pelo aumento dos preços de imóveis e terrenos na cidade - que torna unidades maiores inacessíveis a muitas parcelas da população.
O crescimento econômico dos últimos anos motivou mais pessoas a correrem atrás do sonho da casa própria. Mas em muitos casos - e principalmente se quiserem morar em regiões centrais - o único que elas podem bancar é o microapartamento próprio.
Microapartamentos no Japão (ON Design - Museum of the City of New York)
Microapartamentos japoneses de Osamu Nishida, expostos no Museu da Cidade de Nova York
Muitos empreendimentos também são oferecidos como opção de investimento. Segundo as empresas, os compradores poderiam lucrar alugando os imóveis para estudantes, executivos e estrangeiros. Pompéia, porém, recomenda cautela e diz que só uma análise caso a caso pode dizer se trata-se de um bom negócio.

'Futuro?'

A capital paulista não está sozinha nessa "onda dos microapartamentos".
Até os anos 90, relatos sobre os "miniflats" japoneses ainda causavam espanto em diversos países. Hoje, a redução progressiva do tamanho das moradias ocupadas por famílias e profissionais de classe média é uma tendência em regiões centrais de metrópoles dos mais variados cantos do globo - dos EUA ao Canadá e Grã-Bretanha - o que vem alimentando uma série de polêmicas e debates.
Afinal, o homem está preparado para viver em espaços que na geração passada correspondiam a uma sala ou duas vagas grandes de garagem (25 m²)? Qual o limite para a redução dos espaços das moradias humanas?

Sean Griffiths

"Se todos quisessem morar em pequenas comunidades em áreas verdes não haveria mais áreas verdes"
O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, é um dos que acreditam que o miniapartamento é o futuro inevitável do mercado imobiliário das grandes metrópoles - ou a pequena solução para os grandes problemas de falta de moradia e preços exorbitantes dos imóveis atualmente disponíveis.
Hoje, o aluguel de um studio em Manhatan gira em torno de US$ 2.700 (R$ 5.300). Desde 1987, uma lei proíbe a construção de moradias de menos de 37 m² - e até pouco tempo a regra só podia ser quebrada para as "moradias sociais", que abrigam populações vulneráveis.
Bloomberg, porém, resolveu abrir uma exceção para um projeto piloto de cubículos habitáveis. Um concurso foi lançado no ano passado - o "adAPT" - e o microapartamento vencedor, um projeto com 55 unidades que têm de 23 m² a 34 m², deve ficar pronto em 2014. Se for bem recebido pelo mercado e a população, a ideia é que a lei seja mudada.

Inovações

Antes disso, porém, os finalistas do adAPT podem ser conferidos na exposição Making Room ("Abrindo Espaço") organizado no Museu da Cidade de Nova York para expôr as inovações arquitetônicas e de design que fariam dos microapartamentos soluções viáveis para a questão da moradia no século 21, segundo entusiastas.
A exposição tem um modelo em escala natural de uma microquitinete com móveis versáteis - como uma cama que pode ser escondida na parede, liberando espaço para uma sala. Também inclui o projeto de um apartamento especialmente desenhado para grupos de solteiros - dividido em áreas comuns compartilhadas e áreas privativas reduzidas.
"Além disso, expusemos projetos já construídos em outras cidades e países", disse à BBC Brasil o curador da exposição, Donald Albrecht, especialista em design e arquitetura.
Microapartamento em Hong Kong (Foto Divulgação)
Apartamento com paredes móveis projetado por Gary Chang está em Hong Kong
O arquiteto Gary Chang, por exemplo, projetou em Hong Kong um miniflat com paredes móveis, que escondem utensílios e podem criar 24 ambientes diferentes em uma área mínima. Outros projetos exibem janelas amplas, pés direitos altos e uma infinidade de estratagemas para ampliar a "sensação de espaço".
"Hoje há uma série de profissionais trabalhando no aprimoramento de microapartamentos em lugares como Vancouver e Montreal, no Canadá, Seattle e San Diego, nos EUA, Tóquio e Hong Kong, onde eles já são uma realidade", diz Albrecht.
A cidade de San Francisco em novembro mudou sua regulamentação para reduzir o limite mínimo de tamanho dos imóveis para 20 m².
"É difícil pensar em uma solução para o problema de moradia nas metrópoles modernas, superpopuladas, que não passe pela quitinete", acredita Albrecht.

Mosquito da dengue criou resistência a repelente...


Mosquito da dengue criou resistência a repelente, diz pesquisa

Atualizado em  21 de fevereiro, 2013 - 16:59 (Brasília) 19:59 GMT
Dengue / AP
Pesquisa destaca necessidade de desenvolver novos repelentes
Uma pesquisa conduzida por cientistas na Grã-Bretanha revelou que o mosquito da dengue aparentemente desenvolveu resistência a um princípio ativo presente na maioria dos repelentes atualmente comercializados no mundo, inclusive no Brasil.
A substância, conhecida como DEET, ou dietiltoluamida, é largamente empregada em repelente contra insetos, combatendo mosquitos, pernilongos, muriçocas e borrachudos. O composto age interferindo nos receptores sensoriais desses animais, inibindo seu desejo de picar o usuário.
O estudo, divulgado pela publicação científica Plos One, analisou a reação de mosquitos da espécie Aedes aegypti, vetores da dengue e da febre amarela, à substância. Os cientistas concluíram que, ainda que inicialmente repelidos pelo composto químico, os insetos depois o ignoraram.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Estatísticas sobre favelas...


Classe média chega a 65% dos moradores de favelas no Brasil

Do UOL, em São Paulo

A maior parte dos moradores de favelas no Brasil ingressou para a classe média, de acordo com estudo divulgado nesta quarta-feira (20) pelo Data Favela. De 2002 a 2013, a parcela de moradores de favelas que pertenciam à classe baixa encolheu de 60% para 32%, enquanto a parcela incluída na classe média cresceu de 37% para 65%.
O instituto de pesquisas Data Favela foi lançado nesta quarta-feira (20), numa parceria entre o sócio-diretor do Instituto Data Popular, Renato Meirelles, e Celso Athayde, da Favela Holding Participações.
Ainda segundo a pesquisa, as favelas brasileiras abrigam cerca de 12 milhões de pessoas, que geram R$ 56,1 bilhões de renda por ano. Esse valor é próximo ao do PIB (Produto Interno Bruto) da Bolívia, de cerca de R$ 57 bilhões (US$ 27,8 bilhões), segundo estimativas do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Celular passou de 26% para 89% nas favelas

O aumento de renda dessa parte da população também pode ser observado pela maior presença dos eletrodomésticos nos domicílios. De 2002 a 2013, o número de celulares passou de 26% para 89%; computadores com internet, de 1% para 31%; e máquina de lavar roupas, de 25% para 52%.
O estudo também aponta que a maior parte das compras realizadas pela população da favela é feita dentro das comunidades.
Em torno de 80% das recargas para o celular, serviços de salão de beleza e compras de alimentos em mercados e padarias são adquiridos dentro nas favelas. A exceção é a compra de eletrodomésticos: 60% delas são feitas em locais distantes da comunidade.

Escolaridade aumentou

A escolaridade também média também aumento: 35% dos habitantes passaram a ter ensino médio completo, ante 13% em 2002. O número de analfabetos caiu de 51% para 33%. No total, a média de estudos passou de quatro para seis anos.
O Amazonas, Pará e Amapá são os Estados com a maior porcentagem da população vivendo em favelas: mais de 10%. Mas em São Paulo e no Rio de Janeiro há o maior número absoluto de pessoas que habitam as comunidades.
A média de idade dos habitantes das favelas, de 30 anos, também tem crescido. Os jovens de até 14 anos eram 31% da população das comunidades em 2002. Em 2013, passaram para 26%. A população com idade entre 35 e 59 anos cresceu de 27% para 31% no mesmo período.
A pesquisa "As favelas brasileiras, um mercado de R$ 56 bilhões" é uma parceria do Data Popular com Celso Athayde e foi feita com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Impacto de componentes químicos...


ONU lança alerta sobre impacto de produtos químicos do dia a dia

Atualizado em  19 de fevereiro, 2013 - 18:34 (Brasília) 21:34 GMT
Químicos que têm efeitos endocrinológicos aumentou 'dramaticamente', aponta estudo
Componentes químicos artificiais presentes no nosso dia a dia podem ter um impacto significativo no sistema hormonal, favorecendo o desenvolvimento de doenças, de problemas de fertilidade e males congênitos, informa um estudo da ONU divulgado nesta terça-feira.
O estudo diz que o número de químicos EDCs - químicos com efeitos endocrinológicos, na sigla em inglês - aumentou "dramaticamente" entre 2000 e 2012, e muitos não são testados quanto a seus efeitos na saúde humana e na vida selvagem.
"Humanos estão expostos a EDCs por diversas formas, incluindo ingestão de comida, poeira, água, inalação e pela pele", aponta o relatório, feito em parceria da Organização Mundial da Saúde e a agência da ONU para o meio ambiente (Unep).Eles incluem aditivos em embalagens, brinquedos, bens de consumo (eletrônicos, móveis, produtos de limpeza), produtos de cuidados pessoais (xampus, cremes, sabão) e farmacêuticos.
"Esses químicos vêm de fontes variadas, entram no meio ambiente durante a produção, o uso ou a eliminação de químicos e produtos e provocam diferentes (efeitos)."
O problema, diz o relatório, é que é ainda há poucos dados sobre como esses EDCs são produzidos e onde são colocados. Também faltam estudos detalhados sobre seus efeitos no sistema hormonal e sua relação com doenças específicas.
O que se acredita é que a exposição a muitos desses químicos pode estar ligada a casos de câncer de mama, tireoide e próstata, deformações em bebês, hiperatividade em crianças, diabetes, asma, obesidade, males de Alzheimer e Parkinson, derrames e queda de fertilidade.
Crianças podem entrar em contato com EDCs no ventre da mãe ou na infância, colocando coisas na boca.

Produtos químicos

Entre os produtos químicos que, segundo a ONU, podem alterar o sistema hormonal estão ftalatos (usados em plásticos maleáveis e na produção de brinquedos, perfumes e farmacêuticos, inclusive desodorantes); bisfenol A (também chamado BPA, substância usada para endurecer plásticos e encontrada em embalagens de bebidas e alimentos).
O relatório diz também que níveis relativamente altos de bifenil policlorado já foram encontrados em atuns coletados na costa do Brasil; o componente é um dos fatores de risco para câncer de mama.

Substâncias que são ou podem ser EDCs (químicos de efeitos endocrinológicos)

  • Galaxolide (presente em cosméticos e outros produtos de cuidados pessoais)
  • Metil siloxano cíclico (presente em solventes)
  • Paraben (presente em preservativos)
  • Ftalatos (presentes em plásticos maleáveis)
  • Triclosan (presente em antimicrobianos)
  • Foram identificados EDCs também em anticoncepcionais, terapias hormonais, beta-bloqueadores, antidepressivos e antibióticos

Fonte: Relatório 'State of the Science of Endocrine-Disrupting Chemicals', da ONU
Por enquanto, são poucos os países - EUA, Canadá e algumas nações europeias - que baniram o uso de alguns EDCs, especialmente em itens usados por crianças.
"No momento, apenas uma pequena parcela de químicos e poucos tipos de EDCs são medidos, fazendo deles a ponta do iceberg", prossegue o estudo, agregando que muitos produtos não declaram esses aditivos químicos em suas embalagens.
"Deve ser uma prioridade global desenvolver habilidades para medir possíveis EDCs e desenvolver um mapa detalhado das exposições (a que estamos sujeitos)."

Vida selvagem

O relatório da ONU também levanta preocupações quanto ao impacto dos EDCs na vida selvagem.
No Alasca (EUA), a exposição a alguns químicos pode ter contribuído para defeitos reprodutivos, infertilidade e má-formação em algumas populações de veados.
Grupos de lontras e leões marinhos também estão sob risco por estarem em contato com químicos presentes em pesticidas.
"Uma vez que um EDC entra no corpo de um (animal) invertebrado, um peixe, ave ou mamífero através da água ou da comida, o químico pode ser transportado a diferentes tecidos, onde pode ser metabolizado, excretado ou armazenado", aponta o estudo

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Escândalo da carne de cavalo respinga em frigorífico no Brasil...


19/02/2013 - 03h00

Escândalo da carne de cavalo respinga em frigorífico no Brasil

Folha de São Paulo...
TATIANA FREITAS
DE SÃO PAULO
A fraude no comércio de carnes na Europa atingiu ontem a brasileira JBS, maior processadora de carne bovina do mundo.
A gigante de alimentos suíça Nestlé disse ter encontrado, por meio de exames de DNA, carne de cavalo em produtos que haviam sido adquiridos da subsidiária da JBS na Bélgica, a JBS Toledo.
Os alimentos processados, no entanto, foram produzidos pela alemã H.J.Schypke, contratada pela JBS para atender à Nestlé, que retirou massas produzidas com carne de cavalo de prateleiras na Itália e na Espanha.
Segundo a JBS, a Nestlé sabia que a carne partia da Schypke, que enviava o produto diretamente à suíça.
A JBS informou que cancelou contrato com a alemã e que o abastecimento à Nestlé, a partir de agora, será feito por unidades da própria companhia fora da Europa.
BRASIL
O Brasil possui um abatedouro de cavalo, mas exporta toda a sua produção. Em 2012, os embarques atingiram 2,4 mil toneladas, o equivalente a US$ 6,8 milhões. A Bélgica foi o principal destino, com 64% do total.
Apesar de ser produzida para exportação, o Ministério da Agricultura diz que não há risco de a carne de cavalo ser misturada à bovina no Brasil.
Para ser processada, qualquer carne precisa ter comprovação de origem, dada por meio do SIF (Serviço Federal de Inspeção).
A fiscalização é feita no abatedouro por uma equipe do ministério e o produto só pode sair do estabelecimento após ser registrado no sistema. Ao chegar à fábrica para ser processada, a carne passa por nova fiscalização para controle de origem.
A carne de cavalo não apresenta risco à saúde. O problema, na Europa, é a falta de informação sobre a origem do animal.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

É possível viver sem plástico?


Britânica se desafia a passar 40 dias sem plástico

Atualizado em  17 de fevereiro, 2013 - 11:49 (Brasília) 14:49 GMT BBC BRASIL
Sacolas plásticas (Getty)
Britânica quer que pessoas 'pensem duas vezes a respeito de produtos descartáveis'
Uma britânica lançou um desafio a si mesma: decidiu passar uma Quaresma sem plástico.
A consultora em ambiente marinho Emily Smith, de 24 anos, promete que não vai usar nenhuma embalagem descartável plástica por 40 dias, para descobrir se ela é capaz de viver sem o material.
Por isso, antes de iniciar o desafio autoimposto, ela teve de comer tudo o que tinha em sua geladeira, "para limpá-la de itens plásticos"."Vou ter que fazer mudanças drásticas em meu estilo de vida, para evitar refeições pré-fabricadas, compras de última hora no supermercado e (embalagens de comida) para viagem", diz.
Seu objetivo, afirma, é "mostrar o quanto dependemos" do material poluente e estimular as pessoas a "pensar duas vezes a respeito de produtos descartáveis".
"Eles servem para uma pessoa e vão direto para a lata de lixo", diz Emily, que é voluntária da Sociedade de Conservação Marinha. "O resultado é plástico flutuando em nossos mares. É um problema maior do que as pessoas pensam, (porque) não estamos apenas sujando, mas mudando a composição do ecossistema marítimo."

Mais nacionalizações na Bolívia...


Bolívia nacionaliza administração de principais aeroportos

Atualizado em  18 de fevereiro, 2013 - 12:12 (Brasília) 15:12 GMT BBC BRASIL

O presidente da Bolívia, Evo Morales. anunciou nesta segunda-feira a nacionalização da administração de três aeroportos do país, atualmente sob o comando da SABSA, fillial do grupo espanhol Abertis.
A empresa administra desde 1997 os três principais aeroportos internacionais da Bolívia, em La Paz, Santa Cruz e Cochabamba, segundo o jornal local La Razón.

"Quero comunicar ao povo boliviano a nacionalização do pacote acionário da SABSA", disse o presidente, agregando que a empresa receberá uma compensação financeira a ser determinada nos próximos meses.Morales argumentou que a SABSA descumpriu acordos de investimentos prometidos.
A agência EFE informa que tropas do Exército boliviano foram enviadas aos aeroportos nesta segunda - segundo Morales, para "garantir a continuidade dos serviços" nos terminais.
A SABSA é a terceira empresa espanhola expropriada pelo governo esquerdista de Morales recentemente. Em dezembro e maio de 2012, ele nacionalizou, respectivamente, filiais das empresas de energia Iberdrola e Red Elétrica.

Chaves de volta para vizinhança...


Chávez volta à Venezuela após tratamento em Cuba

Atualizado em  18 de fevereiro, 2013 - 10:30 (Brasília) 13:30 GMT

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, voltou de surpresa à Venezuela na madrugada desta segunda-feira, após mais de dois meses de tratamento em Cuba para combater um câncer. A informação foi dada pelo próprio mandatário via Twitter:
"Chegamos de novo à patria venezuelana. Obrigado meu Deus! Obrigado povo amado! Aqui continuaremos o tratamento!", escreveu Chávez no site de microblogging

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Mais protestos no Velho Continente...


Milhares protestam contra medidas de austeridade em Portugal

Atualizado em  16 de fevereiro, 2013 - 20:28 (Brasília) 22:28 GMT BBC BRASIL

Protesto em Portugal
Dezenas de milhares de pessoas participaram neste sábado dos primeiros grandes protestos do ano em Portugal contra as políticas econômicas do governo.
As manifestações, realizadas em Lisbos e em outras cidades, foram organizadas pelo maior sindicato do país, a Confederação Geral de Trabalhadores de Portugal (CGTP).
A CGTP se opões às duras medidas de austeridade impostas como parte do resgate econômico a que o país se submeteu.
Dados preliminares indicam que a economia portuguesa encolheu mais de 3% no ano passado.

Partido Rede Sustentabilidade...


Marina Silva lança partido Rede Sustentabilidade

Atualizado em  16 de fevereiro, 2013 - 17:44 (Brasília) 19:44 GMT BBC BRASIL
A ex-senadora Marina Silva lançou oficialmente neste sábado seu novo partido, batizado de Rede Sustentabilidade.
Durante a cerimônia de lançamento, em Brasília, Marina não descartou a possibilidade de concorrer à Presidência em 2014.
Em 2010, a ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente concorreu pelo PV (Partido Verde) e conquistou 20 milhões de votos.
Marina disse que o partido não será de oposição nem de situação.
Para ser oficializado, o novo partido terá de reunir mais de 500 mil assinaturas até setembro.

Bancos já tomaram 400 mil na Espanha...



Manifestantes pedem por uma nova lei de hipoteca, em Barcelona, neste sábado (16). Na terça-feira (12), o parlamento espanhol concordou em debater reformas às leis de hipoteca depois de uma petição com mais de 1,5 milhão de assinaturas. A pressão pública ao primeiro-ministro Mariano Rajoy aumentou para mudar as regras desde que os bancos já tomaram mais de 400.000 propriedades.

Fusão de "gigantes"...


American Airlines e US Airways confirmam fusão

Atualizado em  14 de fevereiro, 2013 - 13:08 (Brasília) 15:08 GMT BBC BRASIL
American Airlines e US Airways
Fusão cria maior companhia aérea do mundo em número de passageiros
As companhias aéreas American Airlines e US Airways anunciaram um acordo de fusão nesta quinta-feira.
A fusão, que já havia sido antecipada pela imprensa americana na quarta-feira, cria a maior companhia aérea do mundo em número de passageiros.
A nova companhia – com valor de mercado de cerca de US$ 11 bilhões – cotinuará se chamando American Airlines, mas o grupo será comandado pelo atual CEO da US Airways, Doug Parker.
O acordo, que ainda deve ser aprovado pelos reguladores da indústria, é firmado 14 meses após a America Airlines entrar com pedido de concordata.

Fora a vergonha na Câmara, o que mais irritou essa semana?

Ouvir um sujeito rico dizer: que bom que fecharam as farmácias populares mesmo, pois isso aí era uma lavagem de dinheiro. Eu: mas se é que...